quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Primeiro, tenho que dizer, estou muito mobilizado emocionalmente pelo que está acontecendo em Santa Catarina (estado al sur de Brasil). Às vezes tenho gana de largar tudo por aqui e ir dar mais dois braços por lá, mas tenho contido esses impulsos.

Hoje estou com muitas coisas na cabeça e com alguma de dificuldade para escrever, particularmente para dar títulos.

Foi muito boa uma volta de dei por um bairro carente aqui da cidade. Acompanhava uma médica que estava fazendo visitas domiciliares a pacientes com exames de citologia oncótica de colo uterino indicado algum desenvolvimento (desarollo) de carcinoma. A enfermeira que lhe ajuda contabiliza mais de 300 exames realizados no espaço de pouco mais de um mês. Muitos deles alterados, a maioria por gardnerella ou leucocitose, mas alguns tantos indicando carcinoma in situ.
Assusta-me a quantidade de criadouros de dengue Aedes que vou encontrando no caminho. Dizem que dengue nao é um problema por aqui. Certo é que um ano de severa epidemia te deixa um pouco neurótico.

Dentro do Barrio Adentro, devido aos altos indíces de morbimortalidade por cancer uterino, criou-se programas específicos de identifcaçao precoce das alteraçoes in situ. Os programas foram criados no Estados de Miranda, Caracas e Guarico, contando com pessoal específico para a realizaçao da coleta de amostras. Aos casos com gravidade superior a NIC II é oferecido biópsia (com resultado em até 1 dia) e tratamento em Cuba. Garante-se também o transporte do paciente e de um acompanhante. Disse-se que as filas (colas) para realizar o tratamento desse tipo de patologia por aqui estao grandes, particularmente nesta época do ano (de férias e feriados - vacaciones). O tratamento privado também é difícil, com filas e com preços que chegam a 42.000 (R$/BsF$) para realizar uma histerectomia, segundo fontes. A soluçao é interessante, provavelmente temporária, pois o mais interessante e barato é, obviamente, que os pacientes realizem esse procedimento por aqui mesmo. Vejo aqui de novo aquele problema na integraçao das estruturas ditas tradicionais e a proposta Barrio Adentro.
A reaçao a tudo isso é bastante distinta. Uma paciente parece fugir da gente, nao conseguimos encontra-la em nenhum lugar. Sempre chegamos um pouco depois dela ter saído. Depois, por uma mensagem de texto de celular somos avisados que ela tentará se tratar em alguma instituiçao privada. Parece o caso da pessoa que na acredita na soluçao proposta. Outra parece um pouco assustada com o que lhe está ocorrendo, mas aceita a oferta. Talvez já na segunda esteja indo para Cuba.

Bloqueio mental. Fico por aqui por agora. Quem sabe amanha tem mais...

4 comentários:

M Regina Mariani disse...

É Bruno me solidarizo com a sua mobilização emocional, eu também fico com esta vontade de dar mais dois braços (de enfermeira) por lá e quem sabe um pouco de ombro e colo a todos por lá.... porém, me seguro pois não posso largar tudo para sair correndo para lá.... fica dificil.... então envio meus braços e meu colo mentalmente. Bjs

azevedo disse...

Agora esse médico pensa assim :
Nossa, meu irmão entrou no meu blog!!!!
Hahahahaha
Pois é mano, como vc era na facul e sempre foi na vida, estou envolvido c n coisas no quartel e n tenho tido tempo para nada quase. Mas faz parte, ainda mais na reta final. E como bom irmao que sou, estou no aguardo de uma ligacao para ir para SC, talvez eu va nesse ou no outro final de semana. Estou na espera de resposta do Comandante do efetivo paranaese dar uma resposta.
Se for digo a mae para te avisar e trabalharei por nos tres com toda a certeza.
Se cuide
Forte Beijo,
Te amo
Se irmao, vitor

Bruno Mariani Azevedo disse...

Boa sorte em Santa mano!! Vai para lá por nós! E de fato, um espanto vc entrar no blog e ainda comentar! hehehehe

Beijos mano

M Regina Mariani disse...

oi filhote, tudo bom por ai?
Não foi neste final de semana que o Vitor foi trabalhar por nós 3...sniffff, quem sabe no próximo....acho bem provavel, pois a previsão é de mais chuva na quarta feira, exatamente no vale do Itajaí. Beijos mil....saudades